Mostrando postagens com marcador Estados Unidos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Estados Unidos. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

RECONHECIMENTO INTERNACIONAL: SUBOFICIAL DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA É AGRACIADO COM MEDALHA AMERICANA



Por: Carlos Eduardo Souza de Oliveira

Em 2015 o SO BMA Ademilton Ferreira Gomes foi designado, para exercer missão de instrutor convidado de Manutenção de Aeronaves na Inter-American Air Forces Academy - IAAFA, na cidade de San Antonio, no estado do Texas, Estados Unidos da América, conforme Portaria nº 7/MD, de 06 JAN 2015, destacando-se com sua iniciativa, profissionalismo e dedicação. Participando, também, de atividades de cunho social naquele país estrangeiro. Durante o período em que esteve servindo na Inter-American Air Forces Academy (Academia Interamericana de Forças Aéreas) o Suboficial Ademilton criou o primeiro e único curso de familiarização da aeronave A-29 que beneficiou mais de 20 mantenedores multinacionais e possibilitou as primeiras missões de apoio aéreo aproximado da Força Aérea Afegã, além de ter sido fundamental na formação de 427 alunos oriundos de 21 países da América Latina.

Relatório da Década de 50 da CIA, relata que o Nordeste Brasileiro era crucial para defender EUA de ataque soviético

Soldados americanos se divertem em praia em Natal durante a Segunda Guerra Mundial IVAN DMITRI/MICHAEL OCHS ARCHIVES / GETTY IMAGES
Por: Redação OD
Após ocupar o Leste Europeu, os soviéticos agora avançam pelo Hemisfério Sul. As tropas comunistas invadem a Austrália, ocupam a África e de lá partem para a conquista do território de onde lançarão a ofensiva final contra os Estados Unidos: o Nordeste do Brasil. O cenário hipotético é narrado em um relatório da CIA (agência de inteligência dos EUA) divulgado nesta semana, entre cerca de 800 mil documentos que vieram à tona após uma longo processo movido por defensores do livre acesso à informação.

Em meio as ameaças de ataque da Coreia do Norte, Estados Unidos e Coreia do Sul iniciam exercícios militares na península coreana


Por: Redação OD
Com um atmosfera recheada de incertezas, Estados Unidos e Coreia do Sul deram início nesta segunda-feira dia 16 a um exercício militar conjunto envolvendo cerca de 40 navios de guerra, em meio aos sinais de que Pyongyang possa estar se preparando para um novo lançamento de míssil. O exercício, que vai até sexta-feira dia 20, e ocorre em águas de ambos os lados da península coreana, de acordo com uma fonte sul-coreana, a qual pediu para não ser identificado devido à política interna.

sábado, 14 de outubro de 2017

Seul e Washington alertas sobre um possível novo teste de mísseis balístico da Coreia do Norte


Por: Redação OD

Nos últimos meses foi registrada uma escalada na crise diplomática entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul, que tem o apoio dos Estados Unidos, depois que Pyongyang lançou vários mísseis e executou o sexto teste nuclear. Notícias provenientes da imprensa local (sul-coreana), dão conta de que a Coreia do Norte estaria preparando um novo teste de míssil balístico justamente as vésperas de um exercício militar conjunto entre Seul e Washington, citando fontes do governo. Em setembro, o presidente americano, Donald Trump, durante coletiva ameaçou “destruir totalmente a Coreia do Norte”.

Declaração conjunta: Diálogo da Indústria de Defesa Brasil-EUA reforça a intenção de ampliar parceria no setor


Por: Redação OD

Os governos dos Estados Unidos e do Brasil assinaram uma carta de intenção para explorar a colaboração conjunta do comércio de defesa em 30 de setembro de 2016. No primeiro ano, o Diálogo da Indústria da Defesa (DID) alcançou progressos nos controles de exportação e de outras questões regulamentares. Neste seu segundo ano, os principais objetivos são fortalecer o comércio bilateral de defesa e investimento e aumentar a cooperação tecnológica:

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Destróier da Marinha do EUA se aproxima de ilhas controladas pela China e cria uma tensão à mais na região


Por: redação OD

Um destróier da Marinha dos Estados Unidos navegou perto de ilhas do Mar do Sul da China reivindicadas por Pequim na terça-feira, provocando revolta na China no momento em que o presidente dos EUA, Donald Trump, corteja a ajuda chinesa para conter os programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte. A China declarou nesta quarta-feira que "irá responder às repetidas provocações da Marinha dos Estados Unidos, depois de desta afronta americana no Mar da China Meridional.”

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

EUA aprovam venda de escudo antimísseis THAAD à Arábia Saudita ao custo de US$ 15 bilhões


Por: Redação OD

O governo americano aprovou a venda para a Arábia Saudita de um sistema de defesa antimísseis (THAAD, na sigla em inglês) por US$ 15 bilhões, anunciou nesta sexta-feira (6) o Departamento de Estado. "Esta venda fortalece a segurança nacional dos Estados Unidos e seus interesses de política externa, apoiando a segurança de longo prazo da Arábia Saudita e da região do Golfo perante o Irã e outras ameaças regionais", destaca o comunicado.

A IMPLANTAÇÃO DO FOREIGN MILITARY SALES (FMS) NA AVIAÇÃO DO EXÉRCITO


Por: Redação OD

O Governo dos Estados Unidos (USG) implementa sua política externa e de segurança por meio dos programas de assistência à segurança. Consiste na transferência de artigos e serviços de defesa, treinamento militar e assistência econômica a países aliados ou amigos. Esse programa de assistência à segurança utiliza-se de um grupo de programas econômicos e militares, autorizados pelo Foreign Assistance Act (Lei de Ajuda Externa de 1961) e emendas e pelo Arms Export Control Act (Lei de Controle de Exportação de Armas de 1968) pelos quais os EUA fornecem artigos de defesa, treinamento militar e outros serviços de defesa correlatos, seja por concessão (doação), vendas, crédito ou financiamentos a países e instituições internacionais elegíveis, para atender os objetivos e políticas nacionais da nação americana.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Central de Inteligência Norte-Americano indica que Pyongyang possa vir a fazer novos teste de mísseis na próxima semana


Por: Redação OD

A Coreia do Norte pode estar se preparando para realizar novos testes de mísseis balísticos na próxima semana, conforme realtou o assistente do diretor da missão da CIA na Coreia, Yong Suk Lee. Existe toda esta apreensão pois o dia 10 de outubro é a data de aniversário de criação do Partido dos Trabalhadores, e segundo as autoridades sul-coreanas e japonesas, Pyongyang, sempre realiza testes de armas em datas importantes para o regime político do país. No entanto, segundo o assistente do diretor da missão da CIA na Coreia, Yong Suk Lee, isso não significa que o líder norte-coreano estaria buscando provocar um conflito armado na região. 

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Porta-aviões USS Ronald Reagan chega a Hong Kong gerando dúvidas e incertezas por conta da crise na Península Coreana


Por: Redação OD

O porta-aviões norte-americano USS Ronald Reagan atracou no porto de Hong Kong nesta última segunda-feira dia 02/10, tendo esta chegada sido aprovada pelo Ministério das Relações Exteriores chinês, antes do navio seguir caminho rumo aos exercícios de navios previstos com militares sul-coreanos, que acontecerão este mês, segundo o jornal South China Morning Post (SCMP). Nos últimos três anos, nenhum porta-aviões Americano pode atracar ou mesmo navegar pelas águas da Região Administrativa Especial chinesa de Hong Kong. Vide o caso no ano passado, quando o porta-aviões USS John C. Stennis teve seu pedido para atracar em Hong Kong negado.

sábado, 30 de setembro de 2017

Estados Unidos e Coreia do Sul realizam exercícios de defesa antiaérea em meio as ameaças vindas do Norte


Por: Redação OD

Nesse sábado, o Comando do Pacífico dos Estados Unidos emitiu uma nota, na qual informa que tropas Americanas e Sul coreanas realizaram os primeiros exercícios conjuntos de defesa antiaérea de proximidade na península da Coreia. Estas manobras envolveram militares do 6º batalhão do 52º regimento de defesa antiaérea do exército norte-americano e militares sul-coreanos, respectivamente. A data em que será realizada as manobras e o número de militares envolvidos no exercício não foram divulgados.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

EUA: pela primeira vez, mulher conclui curso de oficial dos 'Marines'



Por: Redação OD

Uma mulher membro do corpo de fuzileiros navais da Marinha dos Estados Unidos, conhecido como 'Marines', se tornou, nesta segunda-feira (25), a primeira a completar o rigoroso curso de treinamento para ser oficial desse corpo. Muitas mulheres servem na infantaria da Marinha e em outros ramos das forças armadas americanas, mas esta mulher, que não foi identificada publicamente a pedido dela mesma, é a primeira a concluir o curso de 13 semanas para se tornar oficial de infantaria.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Coreia do Sul deseja fortalecer suas Forças Armadas com aquisição de submarinos nucleares e satélites de vigilância

Submarino norte-americano da classe Los Angeles, ao lado do destroyer USS Higgins
Por: Redação OD

A Alta cúpula do governo sul-coreano está avaliando sobre a possibilidade de se adquirir submarinos nucleares para conter os avanços e os testes nucleares realizados pela Coreia do Norte. Em reuniões recentes, onde as conversações do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, com o seu homólogo norte-americano, Donald Trump, seria de reforçarem a defesa conjunta dos aliados contra a Coreia do Norte através da “aquisição e desenvolvimento dos meios de defesa mais avançados” ou  implantação de  armamentos estratégicos dos EUA no país asiático.

Pequim observa com preocupação o agravamento da situação na península Asiática


Por: Redação OD

O Governo de Pequim tem manifestado preocupação com o agravamento da situação na península Asiática e vem apelando as duas partes do conflito para atuarem com moderação e evitarem declarações provocadoras, disse nesta segunda-feira (25) o representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang. "A China está muito preocupada com a escalada da situação na península Asiática. Consideramos que a situação continua sendo muito difícil e sensível. Com isso achamos que as partes têm de evitar declarações e ações que possam vir a provocar uma escalada futura, e as duas partes devem pôr fim às provocações mútuas e atuarem com moderação", afirmou Lu Kang.

EUA envia mensagem de advertência a Coreia do Norte sobrevoando seu litoral


Por: Redação OD

Após a escalada verbal, a demostração de força. Bombardeiros americanos voaram neste sábado perto da costa leste da Coreia do Norte em uma demostração de força do poder militar dos Estados Unidos ao programa armamentista de Pyongjang, cujas provocaçoes e ambições nucleares desencadearam um novo aumento da tensão bilateral. O vôo aconteceu depois de dias de retórica cada vez mais belicosa entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o regime do líder norte-coreano Kim Jong-Un.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Mesmo após ser votada as sanções da ONU, Coreia do Norte ameaça redobrar esforços aumentando ainda mais a tensão na península


Por: Redação OD

A Coreia do Norte desafiou nesta quarta-feira as sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU após o sexto e maior teste nuclear do regime norte-coreano, se comprometendo a redobrar esforços para combater o que disse ser uma ameaça de invasão norte-americana. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que as sanções de segunda-feira, aprovadas por unanimidade pelos 15 membros do Conselho, são apenas um pequeno passo em direção ao que é necessário em última instância para lidar com os programas nuclear e de míssil de Pyongyang.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Coreia do Norte ameaça Estados Unidos com 'maior dos sofrimentos', Ameaça foi divulgada após EUA pedir que Conselho de Segurança da ONU vote novas sanções

Kim Jong Un acompanha lançamento de míssil de médio alcance em foto divulgada em 30 de agosto pela agência estatal norte-coreana KCNA (Foto: Reuters/KCNA)
Por: Redação OD

A Coreia do Norte advertiu nesta segunda-feira (11h, horário local) aos Estados Unidos que lhe infligirá "o maior dos sofrimentos" se Washington prosseguir exortando a ONU a endurecer suas sanções contra Pyongyang após seu sexto teste nuclearEm comunicado reproduzido pela agência oficial KCNA, o ministério norte-coreano das Relações Exteriores adverte que se Washington "aplicar esta resolução ilegal sobre um endurecimento das sanções, a Coreia do Norte garantirá que os Estados Unidos paguem o preço".

sábado, 9 de setembro de 2017

Forças Militares Japonesas e Americanas treinam para um eventual conflito e USS Ronald Regan zarpa para realizar missão de patrulha


Por: Redação OD

As Forças de Autodefesa do Japão em conjunto com unidades dos EUA, baseados em seu território, realizaram exercícios militares que contou com a participação de bombardeiros B-1B. O objetivo destes exercícios é a melhora das capacidades de interação entre as forças de ação do Japão e dos EUA, bem como o adestramento de suas capacidades táticas", segundo um comunicado emitido pelo Estado-Maior da Força Aérea. "As operações foram realizadas sobre o mar da China Oriental onde dois caças F-15 das Forças de Autodefesa do Japão, baseados em Okinawa, e dois bombardeiros estratégicos B-1B dos EUA, deslocados em Guam, realizaram simulações", reinteirou a nota.

'Bombardeamos tudo que se movia': os ataques que explicam o rancor histórico da Coreia do Norte com os EUA

Os bombardeios americanos foram um pesadelo para a população civil norte-coreana
Por: Redação OD

"Tudo que se movia." Com essas palavras, o ex-secretário de Estado americano Dean Rusk definiu os alvos das bombas lançadas sobre a Coreia do Norte durante a Guerra da Coreia (1950-1953), uma missão batizada pelo Pentágono de Operação Estrangular. Segundo historiadores, foram três anos de ataques aéreos contínuos e indiscriminados, que arrasaram cidades e vilarejos da república comunista e mataram dezenas de milhares de civis. 

domingo, 3 de setembro de 2017

Em caso de ataque, quais seriam as opções militares dos Estados Unidos contra a Coreia do Norte

lançamento do foguete que sobrevoou o Japão, segundo o regime norte-coreano Foto: Reuters
Por: Redação OD

Durante a semana, o presidente norte-americano Donald Trump disse que "nenhuma opção está descartada" em relação à Coreia do Norte, depois que o país disparou, na última semana, um míssil que sobrevoou o Japão. Isso antes de Pyongyang anunciar, neste domingo, a realização de um teste nuclear com uma bomba de hidrogênio que poderia ser instalada em um míssil de longo alcance. Apesar de diversas sanções diplomáticas e econômicas, a Coreia do Norte não apenas se recusa a interromper seu programa nuclear como parece estar desenvolvendo capacidades mais ousadas de forma mais rápida que o esperado.