sábado, 17 de junho de 2017

Marinha do Brasil recebe NRP "Sagres" em Santos



Por: Yam Wanders.

Aberto à visitação pública na Capitania dos Portos de Santos, o Navio da República Portuguesa o "NRP Sagres" foi o espetáculo dessa sexta e sábado na cidade. Mesmo sendo uma cidade que possui um porto que recebe os mais diversos navios, poucos deles ficam abertos à visitação, excetuando os navios da Marinha do Brasil e poucos outros que oferecem essa possibilidade ao grande público.
Uma visita à um navio como o NRP "Sagres" é não só um evento técnico permitindo aos amantes da náutica o conhecimento de uma embarcação rara nos dias de hoje, como cultural, pois embarcações como essa participaram de teatros de guerra, escaparam a bombardeios e finalmente hoje colaboram para a formação de novos oficiais de marinha e ainda despertam a vocação em milhares de jovens que tem a oportunidade de ter contato com a mesma e com seus hospitaleiros tripulantes.



Por parte da tripulação, tive a oportunidade de ser recebido pelo 1° Tenente Pereira, que se desdobrou em mil juntamente com os outros tripulantes empenhados em receber os demais visitantes que chegaram. Foi mais uma vez uma honra ser recebido em um navio da Marinha Portuguesa, dessa vez em solo brasileiro.
O público que passou pelo embarcadouro do cais da Capitania dos portos foi estimado em pelo menos 10 mil pessoas, sendo que pelo menos metade subiram à bordo para conhecer melhor o navio, todos recebidos de excelente maneira pelos tripulantes.
O NPR "Sagres" está em viagem de instrução de formação dos cadetes da Escola Naval de Portugal e parte de Santos dia 18, e após efetuará uma escala em Salvador-BA antes de continuar em viagem.


O Navio

Um projeto típico dos últimos grandes veleiros do começo do século XX, teve seu contrato de construção assinado em dezembro de 1936, seu batimento de quilha em 15 de julho de 1937 e foi lançando ao mar em em 30 de outubro do mesmo ano, sendo incoporado à Marinha de Guerra Alemã em fevereiro de 1938, com o nome de “Albert Leo Schlageter”, e partiu para sua primeira viagem de instrução em 20 de março de 1938.
O? atual navio-escola Sagres foi construído nos estaleiros da Blohm & Voss, recebendo o nome "Albert Leo Schlageter". Era o terceiro de uma série de quatro navios encomendados pela Marinha Alemã (Kriegsmarine), que incluía o Gorch Fock (1933) – que veio a ser o Tovarish (1952-2003), o Horst Wessel (1936) – actual Eagle da United States Coast Guard, e um quarto navio nunca concluído, por entretanto ter eclodido o conflito, ao qual foi dado o nome Herbert Norkus (1939).


Antes do início da 2a Guerra Mundial o mesmo partiu em duas navegações de instrução ao Atlântico Sul, e depois do início da guerra permaneceu atracado em Kiel na Alemanha.
Voltaria a navegar em 1944 para a faina de instrução de novas tripulações somente na região do Mar Báltico, sob controle da Kriegsmarine, porém em 4 de novembro do mesmo ano o “Albert Leo Schlageter” atingiu uma mina durante um forte temporal, vitimando 18 tripulantes e a embarcação não afundou devido ao fechamento dos compartimentos estanques, novidade para esse tipo de embarcação e devido ao auxílio prestado pelo navio irmão "Horst Vessel".


O “Albert Leo Schlageter” milagrosamente escaparia da destruição devido a uma ordem de atracação para reparos no porto de Flensburg, pois a poucos dias do final da guerra, o porto de Kiel seria completamente destruído por um massivo bombardeio da aviação aliada, destruição essa que arrasu com a base da Kriegsmarine e todos os navios que estavam no porto.

Ao final da guerra o “Albert Leo Schlageter”, capturado pelas forças americanas  em 1948, acabou cedido à Marinha do Brasil por um pagamento simbólico de US$5,000, e devido a uma série de danos ainda não reparados pela colisão com a mina no Báltico, o veleiro foi rebocado até o Rio de Janeiro em 1948, sendo que esse trânsito pelo Oceano Atlântico seria já efetuado com bandeira brasileira, mas só no Rio de Janeiro que o mesmo seria batizado com o nome de "Guanabara" no dia 27 de outubro de 1948.


Efetuou sua última viagem à serviço da Marinha do Brasil em 21 de julho de 1959, foi abatido do serviço ativo em 30 de novembro de 1960 e finalmente vendido para a Marinha Portuguesa em 10 de outubro de 1961, data essa em que a bandeira brasileira foi definitivamente arriada do "Guanabara", porém a bandeira portuguesa somente seria içada ao então diplomando "NRP Sagres" no dia 8 de fevereiro de 1962, após uma cerimônia oficial no Porto do Rio de Janeiro. O navio suspendeu no dia 25 de abril de 1962, chegando à Lisboa em 23 de junho, após escalas em Recife, Mindelo e Funchal.
Desde então, desse ano de incorporação em 1962, o "NRP Sagres" efetuou viagens anuais para a instrução de cadetes da Escola Naval da marinha Portuguesa, com excessão dos anos de 1987 e 1991, quando foi parado para trabalhos de reformas e modernização.

Uma das grades curiosidades do "NRP Sagres" é que o mesmo já efetuou três circunavegações do globo nos anos de 1978/1979, 1983/1984 e 2010, todas com a duração de 5 meses. O "NRP Sagres" é utilizado também como Embaixada Intinerante de Portugal, inclusive nas suas participações na Regata Colombo em 1992, nas comemorações dos 450 anos da chegada dos Portugueses ao Japão (1993) e ainda nas celebrações por ocasião dos 500 anos do descobrimento do Brasil (2000).
O NRP Sagres é o navio mais condecorado da Marinha Portuguesa e o único a ostentar condecorações estrangeiras no respetivo estandarte nacional.?


Comandantes

Com a bandeira alemã o navio teve os seguintes comandantes:
Fregattenkapitan Bernhard Rogge, FEV38 - SET39
Kapitan zur See Joachim Asmus, JAN44 - NOV44
Korvettenkapitan Johann Reckoff, ABR45 - MAI45

Com bandeira brasileira o navio teve os seguintes comandantes:

CDR Pedro Paulo de Araújo Suzano, 27OUT48
CDR Daniel dos Santos Parreira, 08NOV49
CDR Augusto Lopes da Cruz, 22SET50
CDR Levy Penna Aarão Reis, 10JAN51
CDR Osmar Almeida de Azeredo Rodrigues, 02FEV52
CDR Ernesto de Mello Baptista, 05FEV53
CDR Maurício Dantas, 24FEV54
CDR Oscar Lopes Fabião, 18MAR55
CDR Mário Carneiro Esposel, 24MAR56
CDR Alberto Pimentel, 14JUN57
CDR Ernesto Mourão de Sá, 15ABR59?

Com bandeira portuguesa o navio teve os seguintes comandantes:

Cap.-Ten. Henrique Afonso da Silva Horta, 08FEV62
Cap.-Frag. Daniel Farrajota Rocheta, 29SET65
Cap.-Frag. José Fernando Ferreira da Costa, 03OUT69
Cap.-Frag. Eurico Serradas Duarte, 14NOV73
Cap.-Frag. José Fernando Ferreira da Costa, 28MAI74
Cap.-Mar-e-Guerra Fernando Miranda Gomes, 05MAI75
Cap.-Frag. José Fernandes Martins e Silva, 15NOV76
Cap.-Frag. Engrácio Lopes Cavalheiro, 21JAN80
Cap.-Frag. António Luciano Homem de Gouveia, 17DEZ82
Cap.-Frag. José Manuel Castanho Paes, 14ABR86
Cap.-Mar-e-Guerra José Manuel Malhão Pereira, 06OUT89
Cap.-Frag. José Armando Rodrigues Leite, 22JAN93
Cap.-Frag. Duarte José Cruz de Castro Centeno, 10OUT95
Cap.-Frag. António Maya Dias Pinheiro, 07OUT98
Cap.-Frag. António Carlos Vieira Rocha Carrilho, 04SET01
Cap.-Frag. José Luís Pimentel Antunes do Vale Matos, 25OUT05
Cap.-Frag. Luís Pedro Pinto Proença Mendes, 06NOV07
Cap.-Frag. Luís Nuno da Cunha Sardinha Monteiro, 16MAI11
Cap.-Frag. Paulo Jorge Palma Alcobia Portugal, 16JUL13?

Galeria de fotos:


















































Referências bibliográficas:

Marinha de Portugal
NRP Sagres - página oficial

Postar um comentário